sábado, 3 de julho de 2010

DROMEDÁRIO

Esta noite sonhei com um dromedário. Dromedário é aquele que tem uma ou duas corcovas? Vou ao Google, que coisa sem graça virou essa facilidade de conseguir respostas, meio que leva a gente a só se fazer essas perguntas de respostas fáceis. O dromedário é parente do camelo, isso eu já sei, de que me adianta tanta tecnologia pra me dizer coisas que eu já sei, irritante essa ampulheta virando virando, vou trocar por algo mais divertido, quem sabe um casal fazendo sexo me distraia da irritação que é esperar tanto tempo por uma resposta tão boba, eu devia era estar fazendo algo mais produtivo. Sexo, por exemplo, ou escrevendo alguma coisa que tivesse a ver com o mote do clube de hoje. E essa página que não abre? Só o que eu tenho até agora é que o dromedário é da família do camelo. E isso não serviria de inspiração nem pra Kafka, quanto mais pra mim. Começo a desconfiar que o Google também não sabe quantas corcovas tem o dromedário. Por que é que sempre que escrevo Google o editor de texto coloca a primeira letra em maiúscula? Coisa estranha demais isso... Sei lá, mas tem horas que me sinto meio fora desse mundo maluco, com caixas postais eletrônicas e o meu dedo doendo sempre que tento usar uma caneta pra escrever. Não é a toa que tem tanta gente tantan por aí. Até que enfim! Não sou dada a acreditar em coincidências, mas a única página que consigo abrir é uma chamada Mundo Estranho. Concordo. É estranho pacas. Descubro que o período de gestação do dromedário é de 12 meses e me pego pensando se doze meses de um dromedário é igual a doze meses de gente, e me lembro que o tempo é uma convenção e que o dromedário deve cagar e andar se leva doze, vinte ou trezentos meses gestando outro dromedário. Outra coisa que pra ele não deve fazer a menor diferença é o aspecto muxibento de sua corcova. Ô troço feio, viu? E pensar que aquilo é gordura pura. Se dromedário fosse gente, já tinham arrumado um jeito de lipoaspirar a corcova. Ia se fuder, porque a corcova é que garante a reserva energética dele. Ela, e os 57 litros de água que consegue beber, é que o permitem andar longas distâncias. E pensar que são herbívoros. Mas não são nada magros. Que nem vaca. Já viu vaca magra? E só come folha. Se dromedário fosse gente, isso de beber muita água, caminhar pra caralho e comer só mato ia ser legal. Eles iam ser magrinhos. Descobri também que o dromedário atinge a maturidade sexual aos três anos de idade e sua expectativa de vida chega aos cinqüenta. Isso lhe garante uns 47 anos de sexo de qualidade. Considerando que com 47 anos ainda tem homem que desconhece o poder que o sexo oral tem de apimentar um sexo meia bomba, acho que se dromedário pudesse escolher, ia preferir continuar sendo dromedário mesmo.
Droga! Minha conexão caiu. Ah, antes que eu me esqueça: o dromedário tem apenas uma corcova. Então eu sonhei foi com o camelo.

sexta-feira, 26 de março de 2010

AMOR (IN)CONDICIONAL

.
...e se eu parasse de te procurar pelos cantos, de esperar que você ligue, de tentar entender o que significa esse silêncio que jorra da sua boca? E se eu me cansasse de tudo que você não me disse, das frases interrompidas no meio, do seu jeito de passar manteiga no pão? E se eu deixasse de tentar te entender e me pegasse de frente para o espelho, aliviada por não te ter? E se eu, por um momento apenas, sentisse que não te amo, não te quero, que não estou nem aí para o que você pensa, para como você passou o dia ou se você está vivo ou morto? E se eu, num arroubo de violência e vingança, arrancasse seus dedos no momento exato em que caminhassem pelas minhas costas?

...e se eu começasse a te achar pelos cantos, entender o seu silêncio, ficar curiosa por tudo que não foi dito? E se eu, me olhando no espelho embaçado do banheiro, conseguisse enfim te decifrar? E se eu te amasse como se ama um filho, um amante, um amigo? Se te desejasse como bicho, vasculhasse o seu corpo em busca de marcas e gostos, esfregasse o seu rosto até a sua barba mal feita ferir o meu?

...e se eu um dia aparecesse diferente, sem os jeans surrados, de salto alto, cabelos escovados e unhas pintadas de vermelho? E se eu queimasse os livros que lemos juntos, as cartas que nunca te mandei, apagasse os seus passos da cozinha? E se eu parasse de te esperar chegar junto com o cheiro da chuva?

...e se eu desistisse de você, não te reconhecesse, não me precipitasse, não te procurasse?
...e se eu conseguisse apagar de mim as memórias de você?
...e se eu não te fantasiasse?

Será que eu continuaria te querendo?
.
.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Desculpa pra Beber


Então, gente. Pra quem ainda não sabe, no último sábado eu, Arnaldo Costa, Luiz Teixeira e Mano Marques disputamos o samba com que o bloco Desculpa pra Beber vai sacudir o Humaitá na terça feira de carnaval. A disputa foi acirrada, os outros sambas estavam muito bons, mas, justiça seja feita, se é pra sair por aí sacolejando corações, não tem pra ninguém!!!

A letra:

SACUDINDO O HUMAITÁ

Vem cantar
Que a magia já está pra começar
Vem dançar
Que a gente samba até o dia clarear
Vem meu bem
Ajuda a gente a sacudir o Humaitá
Então vem
Que é no Desculpa pra Beber que eu vou te amar

Vamos nos beijar
Fazer pulsar os corações
Vem me abraçar
Aqui no Largo dos Leões

Fazer fantasia
Comemorar a ilusão
Desculpa pra esquecer
Cueca, meia e apagão

No reino do rei Arruda
É um tremendo
Deus nos acuda
É um sacrilégio, é uma zona
Até Jesus anda pegando a Madonna

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Lá do alto

Lá do alto, a equilibrista olha pela última vez: a platéia e a corda transparente. Sabe que, quando começar a andar na corda bamba, seu mundo será: seu corpo, a sombrinha lilás, a corda e o picadeiro vazio. Lá de baixo, seus pés parecerão: duas pequenas pétalas flutuando no ar. A equilibrista, com sua roupa rosa de bailarina, respira: atenta. O ar chega finalmente aos seus pés: flutua. Ela sabe: não pode avançar demais, tampouco parar. O suor destila: medo e certeza. A platéia: não respira, não pisca. A mulher gorda: prefere não ver, o que quer que seja, prefere não ver. O filho: aperta o seu braço. A equilibrista bailarina é: firme. É forte. O filho solta o braço da mãe, que olha para a bailarina, que limpa o suor, que olha a platéia, que suspira de alívio admirando a bailarina, que recebe os aplausos do adorável público.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Em 2010 desejo que vocês

encontrem os amigos pela rua pra ficar conversando horas em pé na esquina, contando as últimas fofocas
achem notas esquecidas nos bolsos das suas calças jeans
aceitem convites inusitados
façam convites inusitados
conheçam muita gente nova e bacana
façam um trabalho do qual se orgulhem, mesmo que as pessoas em volta achem uma bobagem
desenvolvam a auto percepção
se conheçam mais e se gostem mais cada vez que descobrir algo novo sobre vocês
amem os seus defeitos. Como diz Clarice, nunca se sabe onde está apoiado o edifício inteiro
emagreçam todos os quilos desejados
aprendam algo totalmente novo
consigam usar alguns dos seus dias pra não fazer absolutamente nada
aprendam a meditar
acreditem que entre o céu e a terra existem mais coisas do que possa supor a nossa vã filosofia
fiquem mais espertos
fiquem mais saudáveis
não precisem tomar antidepressivos
riam mais, muito mais, de vocês mesmos
acreditem que uma grande mudança começa com um pequeno passo
naufraguem às vezes, para saber onde estão os recifes
comemorem o seu aniversário e me convidem :)
arrumem um namorado/namorada bem bacana
tenham paciência com o que demora
assistam a muitos filmes bons
sejam inteiros em tudo o que fizerem